segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

novo


O relógio deu neste momento as doze badaladas, este é o momento em que almas esperançosas, pessoas perdidas, sonhadoras, começam a contar cada segundo para o recomeçar de um novo ano, de uma nova vida para alguns. Em tempos eu criei planos para um novo ano, o dono do meu coração foi o meu desejo desde que me lembro, desde sempre pensei que no recomeçar do ano todas as saudades, todas as deceções ficariam para trás, mas na verdade de que vale o ano começar, o mundo recomeçar, a vida recomeçar se nós continuamos os mesmos ano após ano. Não se trata da mudança do ano, trata-se da mudança em nós. É o mesmo que  fugir dos problemas, eles podem não estar lá agora, mas a qualquer momento estarão de volta, ou o mesmo que colocar a culpa no amor, quando o problema é de quem te magoou, ou por culpar o ano quando na verdade a culpa é tua, por todos os anos fazeres tudo igual. Para de culpar o mundo, quando na verdade a culpa é tua de não mudares junto com o ano. Por isso em vez de pedir que 2013 seja diferente, faça a diferença e mude.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

quente


Quando a carência nos invade totalmente, quando nós tornamos mendigos de carinho, de atenção, de amor, qualquer pessoa serve, qualquer pessoa disposta a dar um pouco de amor, a cortar as nossas lágrimas, é capaz de nós preencher vagamente o vazio do peito. Mas quando realmente o coração parece coberto de pequenas ilusões, de pequenas esperanças, parece confortável e feliz, tu entendes que não é aquilo que queres. A abundância de palavras já não é suficiente, passamos a não querer mais as palavras que em tempo mendigamos, o carinho que em tempo nós confortou, queremos mais que isso, queremos um amor que nós nutre, que nós fascina pelas atitudes e que nós excita pelo calor. A verdade é que agora ilusões permanentes não colam mais, a chuva não esfria mais o corpo, nem a voz acelera mais o coração. Parece-me o limite, não quero mais palavras. Eu agora quero um amor quente, doce mas quente.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

é.


Realmente a vontade que eu tenho de crescer na vida é grande, de alcançar os meus sonhos, atingir as minhas metas. Mas está vontade que tenho dentro do peito, está vontade de te querer por perto, de querer ser a tua escolha, sei lá de querer caminhar pelo parque de mãos dadas, de acordar ao teu lado, de ser o teu ombro nos dias mais tristes e a soma de sorrisos nos dias mais alegres, a vontade de querer largar o mundo só por ti, para finalmente realizar os planos que em altura foram mútuos e agora parecem ser só meus. A verdade é que já não te tenho e por mais que tente nunca mais terei e não sei o que mais dói, se o facto de te ter perdido daquela forma, se o de nunca mais te voltar a ter. E nem sei se dói, porque de tantas coisas malfeitas, de tantas palavras mal ditas, de tantas esperanças falhadas, de eternidades curtas. A vontade de ficar chegava a ser grande mas as vezes a dor superava, tal como o enorme oceano azul que nós separa, aquele que afundava as minhas esperanças, os meus planos, os meus sonhos, aquele que levava um pouco de paciência a cada dia, um pouco de amor a cada noite fria, vazia e carente. Eu queria gestos, queria uma saída romântica, queria um beijo a saída da escola, queria um abraço no meio das brigas, mas não podias dar-me mais do que palavras, por isso elas teriam de valer por tudo, na verdade valiam, mas será que a certa altura não deixaram de ser reais? Na verdade dói, ter ficado sem ti no momento em que eu mais precisei, no momento em que eu pensei que tudo daria certo, no momento em que eu me entreguei por completo. Por isso hoje não sei se chore, se lute, se desista, não sei. A única coisa que sei neste momento é que oceano nenhum apagara este amor.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

desabafo.


O mundo estava mais uma vez tão longe do meu alcance e eu não ia pedir socorro não desta vez, não nesse momento. A vontade de chorar era forte demais, queria largar aquele peso no meu peito. Mas parecia que já nem disso era capaz, eu estava com medo que ouvissem os meus gritos de dor e ao mesmo tempo suplicava que alguém seguisse o som dos meus choros e me tirasse de vez desta amargura profunda. Se alguém o fizer será capaz de chegar sem fazer perguntas, só vai levantar-me, abraçar-me e cuidar de mim, sem perguntas, sem intenções. Mas nunca ninguém vai seguir o som dos meus gritos, nem vai olhar no fundo dos meus olhos e ver a dor que neles prevalece, porque ninguém sabe, melhor ninguém quer saber. E a verdade isso é o que mais dói, o que mais mata. Desta vez já nem eu sei porque me sinto assim, tão diferente do mundo, talvez seja só o cansaço desta rotina monótona, destas lágrimas que não param ou não caem, deste peso no coração e ao mesmo tempo um vazio que me esfria. Pensava ter o dom da palavra, até que nem as palavras eram suficientes para descrever a minha dor. Mas o mundo não precisa de saber, aliás o mundo iria rir se soubesse, por isso eu guardo a minha dor, escondo os meus pulsos, preencho minha alma de palavras falsas e solto o peso do coração na folha de papel.

domingo, 25 de novembro de 2012

mentira.


Dizem que admitir é o primeiro passo para resolver o problema, e eu agora percebi, eu consigo ver o problema transparecer quando eu me olho no espelho ou quando meus pulsos choram. Quando alguém me olha eu não gosto da sensação  não gosto quando alguém toca no meu corpo, não gosto que falem de comida na minha frente, não gosto do que vejo, não gosto do que vivo.  Eu sei que todos julgam, mesmo que falem que não se importam em qualquer momento do dia vão olhar e falar algo. As pessoas não medem as palavras e pior não sabem o peso que elas têm, o efeito que elas podem ter em alguém. Eu falei a todos que não voltei a fazê-lo eu menti, menti a mim mesma, tentei virar minha dor, mas a dor vive aumentando. Eu preciso de deixar os sentimentos no papel, nem que no final o vento o leve e ninguém saiba o peso da minha dor, o vazio da minha alma. Só quem olha no fundo dos meus olhos sabe a dor que eu sinto, em quantos pedaços o meu coração está, quantas lágrimas eu largo quando eu deito, a confusão que está a minha cabeça, mas enfim ninguém percebe. Agora todos sabem, eu nunca parei realmente de me cortar.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

história de amor a distânicia


Era uma manhã de domingo, o sol estava mais forte que o habitual, mas tirando isso tudo estava igual era apenas mais um dia das férias daquele verão infernal. Pensei em ficar deitada na cama até esse dia passar, mas cada segundo parecia valer uma eternidade então levantei da cama, tomei meu leite quente com chocolate e liguei a televisão, até a programação nesse dia estava contra mim, logo desliguei. Então resolvo sentir o sol no meu rosto e ouvir o cantar doce dos passarinhos livres e felizes, ao contrário de mim. Desde o dia da tua partida que já mais nada bate certo, não sei se é a falta dos teus abraços, das tuas palavras ou se é do vazio que deixaste dentro de mim. Continuo a ser incapaz de sorrir, de sair, de entrar em qualquer rede social, pois não quero saber o que tens feito, pois é provável que já tenhas seguido caminho, ao contrário de mim. Pois eu ainda não consigo entender a falsidade e a duração desse teu amor. Ao final de um mês de noites sem dormir, de dias passados em baixo do cobertor, resolvi fazer algo de novo, olhar-me no espelho como a muito já não fazia. A minha cara continuava triste, os meus olhos estavam borrados da maquilhagem depois de mais uma noite a chorar, o meu pijama tresandava, o meu cabelo estava desarranjado, uma ponta caída outras quantas no ar e umas pontas atadas, lavei a cara com água fria e meti-me no banho. Apesar de ainda doer hoje era o dia, hoje era o dia de cuidar de mim, mesmo que fosse apenas para ficar a frente da tela do computador, assim o fiz. No final de todo esse tempo de arranjo resolvi pegar no computador entrar nas redes sociais e avisar ao mundo que estava finalmente de volta. Quando entrei tinha um monte de mensagem a perguntar como estava a maioria de pessoas que nem se importariam com a resposta e a essas respondi ironicamente que sim, mas na verdade o meu coração doía demais, e os meus olhos não mentiam. Tinha vários pedidos de amizade um deles que me chamou a atenção por o seu nome ser diferente do normal, por a sua cara redonda e querida, pelos seus lábios carnudos que eu naquele momento tive vontade de tocar. Num impulso meti conversa com ele e para minha supressa ele respondeu com um –oi princesa- o que de momento me cativou. Fiquei assim durante horas naquela troca de palavras e sem me aperceber o coração já pouco doía, e o meu sorriso por segundos foi verdadeiro. Estar ali naquele clima de cumplicidade fez-me sentir algo satisfeita por ter tentado esquecer por momentos o mundo real. Aquele alguém que eu pouco conhecia, fez-me entender que pequenas coisas fazem a diferença. Até que ele me perguntou porque motivo tinha demorado tanto tempo a responder ao seu pedido de amizade, por segundos voltou um pouco de tudo e calmamente respondi –passei por uma fase má, problemas amorosos- fiquei ansiosa e receosa de qual seria a tua resposta. Depois de algum tempo a escrever a resposta finalmente chegou vou cita-la – sabes princesa a vida muitas vezes é assim, faz cair quem mais merece estar no topo, mas um dia tudo muda, um dia chega a pessoa certa e a vida não poderá fazer nada para destruir essa felicidade, é apenas uma questão de tempo, de esperança - naquele momento senti lágrimas deslizarem sobre o meu rosto fiquei sem saber o que dizer, pois era tão verdade, tão verdade que chegava a doer eu não conseguir finalmente alcança-la. Respondi que iria ficar no meu canto até que essa tal pessoa chega-se, respondeste –eu vou chegar- e numa rapidamente corrigiste e disseste – vai chegar- queria saber mais de ti, mais sobre esse teu jeito querido que me cativava mais a cada segundo que passava, mas chegará a hora de eu sair, tinha combinado ir as compras com uma das minhas melhores amigas e estava bastante atrasada então despedi-me e sai. Quando estava a lavar os dentes antes de sair olhei-me no espelho e lembrei de quando me chamaste princesa, como eu adorava que me chamassem de princesa e a muito que não o faziam, enquanto estava perdida nos meus pensamentos a Madalena (a tal rapariga com quem combinei ir ao cinema) já me tinha ligado cerca de 5 vezes, peguei no casaco despedi-me da minha mãe com um beijo e sai. Ela estava a minha espera dentro do carro com mãe, estavam ambas a rir-se e só quando olhei para baixo ao descer as escadas entendi, tinha-me esquecido de calçar as sapatilhas. Entrei num passo em casa e noutro sai, ao entrar no carro a Madalena disse que não estava com tão mau aspeto como comentavam e começou a falar-me do que se tinha passado na minha ausência. Entendi que nada tinha mudado, as pessoas continuavam a importar-se apenas com elas próprias, os sofrimentos no amor continuavam sem cura, a chuva continuava a cair do céu, nada de importante tinha mudado. Na chegada ao centro comercial, para felicidade da minha amiga este era um dia em que os rapazes resolveram invadir literalmente o centro comercial. A mim não me fazia diferença, uns tempos fora dessas andanças não me iriam fazer mal. Mas ao final de alguns minutos comecei a ficar algo confusa, pois cada vez que ela me fazia olhar para um rapaz, no meu pensamento surgia o Ueliton (o tal rapaz da internet) ora porque tinha os seus olhos castanhos-escuros ou os seus cabelos pretos e curtos, ora porque tinham os seus olhos brilhantes ou os seus lábios carnudos. Estava a sentir vontade de ir embora e falar com ele, afinal nem sabia ainda qual a idade dele, de onde era, qual era a sua cor preferida, não entendia o porque de tanta curiosidade, mas enfim continuei as minhas compras e no final do dia já a noite eu entrei e para minha infelicidade ele não lá estava, fiquei algo triste, mas deixei o computador ligado a espera que ele entra-se, liguei a música e resolvi experimentar tudo o que havia comprado, quando estava já no final ouvi um som, ele tinha finalmente chegado, não sabia se deveria falar ou deixar que ele viesse falar comigo, mas como a vontade de falar com ele era tanta segui em frente e mandei um olá ao que respondeste – olá, como está a minha princesa melhor?- naquele exato momento sorri e respondi que sim estava melhor. Falamos sobre ambos os nossas dias, os nossos gostos, em tudo parecia-mos diferentes e ao mesmo tempo tão iguais. Até que resolvi perguntar-te de onde eras, demoraste para responder o que me deixou algo assustada, mas resolvi e ler uns textos que por ali passavam até que finalmente respondeste, quando abri a janela da conversa não queria acreditar –Brasil e tu?- era essa a resposta que tinhas dado e eu não sabia se iria responder ou se chorar, pior que isso nem sei porque chorar era uma das opções, respondi que era de Portugal e levei o assunto de forma irónica e disse que agora fazia sentido a cor morena da sua pele e as suas frutas preferidas, ele entrou dentro da brincadeira. Eu na verdade não queria rir, não sei porque mas não me agradava que alguém que em poucos minutos me fez rir estive-se do outro lado do oceano. Mas ignorei isso e continuei a falar com ele pois pensei nisso a tarde toda e não seria agora por isso que eu iria parrar, continuei. Já ficava tarde para mim, mas o sono era coisa que se superava que se recuperava e resolvi ficar mais um pouco. Passado algum tempo disseste-me – querida está a ficar tarde devias ir dormir, quero o melhor para ti- realmente estava a fazer-se tarde e o sono era cada vez maior. Despedi-me e tu mais uma vez fizeste-o de uma forma demasiado querida, eu acho que tu só sabes agir de forma querida. Desliguei o computador vesti o pijama e deitei-me na cama, foi aí que comecei a pensar como aquele dia me tinha feito bem, como aquele rapaz que eu mal conhecia me tinha feito esquecer aquele monte de sentimentos maus e me tinha feito estar feliz um pouco que fosse, sem me aperceber acabei por adormecer. Naquela manhã eu precisava de uma dose de felicidade pela manhã e como era já tarde liguei o computador, eu queria ver se ele mais uma vez lá estava e ao entrar ele logo mandou – bom dia, como dormiu a minha pequena princesa- voltou a cativar-me com algo tão simples, mas eu gostava daquelas pequenas coisas, eu gostava de receber carinho de ser mimada. Continuamos a falar e tu sempre com esse teu jeito querido de ser, essas tuas palavras que deixavam qualquer pessoa de sorriso no rosto. A coração doía menos, parece que o meu amor-passado era mesmo isso passado. Assim foi durante um mês seguido, falava contigo todos os dias, todos os dias nos mimávamos mutuamente e causávamos sorrisos um ao outro. Cheguei a vê-lo várias vezes, a ouvi-lo, era bom ouvir a sua voz, só me faltava abraça-lo para estar completa, mas era aí que a distância entrava, mas nem isso me fez desistir, pois nem isso me dava vontade de desistir daquilo que tinha-mos. Certo dia entrei e ele falou que estava a minha espera que tinha algo sério a dizer-me fiquei assustei mas pedi que fala-se e ele mandou – eu era a preto e branco, era pálido e sereno, era um cume de magoas e segredos, era um tesouro sem mapa, era uma chave sem fechadura, era um avião sem asas, era um talvez era uma viagem sem destino, era um só e sozinho. Um dia encontrei-te, e desde logo me perdi e me encontrei novamente. Encontrei cores e pintei-me, desvendei todos os meus segredos, encontrei o mapa para o tesouro, encontrei a fechadura da chave, encontrei asas e voei…Passei a ser um sim, passei a ser um não. Segui viagem e encontrei destino, o meu destino eras tu e contigo nunca mais fiquei sozinho. Quero-te sempre aqui, namora comigo?- no meio de lágrimas e sorrisos surgiu um impulso e respondi imediatamente que sim, sem me aperceber das dificuldades que isso traria, mas afinal eu gostava de ti, não sei bem o que era, mas sabia que gostava daquele sentimento puro. Passaram alguns dias e as promessas eram cada vez mais, eu sentia-me feliz e ao mesmo tempo triste por saber que aquele romance tinha poucas chances de resultar, não por o seu tamanho, mas pelo tamanho da distância. Os dias passavam e a vontade de nos vermos, de nos tocarmos era cada vez maior. Ele falava que faria de tudo para me ver, para estar na frente dos meus olhos, mas eu tinha medo que nada disso fosse acontecer e no final da noite quando ele estava a dormir eu chorava por medo, medo que aquele novo amor me magoasse. Passaram mais de três messes e continuávamos juntos, apesar das dificuldades sabíamos que queríamos estar juntos. Um dia de manhã entrei no computador e ele estava resolvi falar com ele, depois de algum tempo de conversa ele falou – neste momento queria estar do teu lado no sofá, contigo deitada no meu colo e eu a dar-te pipocas e a beijar-te intensamente e no final do filme ia querer sair a rua de mãos dadas e dividir um gelado de nata contigo e no final do dia voltar e depois de um dia cansativo íamos fazer uma partida de vídeo game para ver a quem calharia fazer o jantar, iria deixar-te ganhar porque adoraria ver-te sorridente a salta para cima de mim a dizer o quanto sou fraco, já a noite ia querer dormir de conchinha e iria dizer-te ao ouvido o quanto te amo. No inicio da manhã iria acordar antes de ti, para ver como ficas linda a dormir e o quanto me fascina ver-te acordar com o cabelo despenteado.- ao que eu emocionada respondi – A minha primeira palavra depois de acordar séria sempre um amo-te para que relembrasses todos os dias que o meu coração te pertence toda eu te pertenço. Iriamos trocar presentes no dia dos namorados e beijos no caminho até casa, no caminho até ao mercado. Ia apresentar-te pessoalmente a todas as minhas amigas e ficaria com um certo ciúmes quando todas fala-se o quanto eras lindo e quando brilhante era o teu sorriso e iria rir e falar que eras meu. Ao final de alguns tempos íamos casar e ter dois filhos uma menina e um menino tal como planeamos. Tu irias ensinar-lhe a cuidar das meninas como tu sempre fizeste e eu ensinaria a nossa princesa que nada pode impedi-la de ser feliz. Quando ambos fossem dormir iramos sentar-nos no sofá e ver o longo caminho que já percorremos e eu iria lembrar como foi bom percorre-lo do teu lado.- ao que tu disseste rapidamente, - o plano continua a ser esse?- respondi –sempre será- não percebi bem porque mas nesse exato momento falaste que tinhas um compromisso e que estavas demasiado atrasado e que não sabias se nesse dia e no próximo irias entrar, despedi-me e tu saíste. Fiquei triste e algo assustada, pensei se teria dito algo que te fez querer ficar longe de mim, algo que te levasse a querer desaparecer por um pouco, resolvi sair do computador e deitei na cama queria parrar de pensar um pouco, até que acabei por adormecer. Até que acordei com a minha mãe a bater a porta –filha posso pegar no computador?- estranho ela não costumava lá ir a noite, mas como naquele dia nada estava certo, respondi que sim e ela foi, resolvi ir ver a minha série que já tinha começado. Quando de repente a minha mãe aparece e fala que no dia a seguir teríamos de ir ao aeroporto buscar um tio que vinha passar um dias cá a Portugal pois de momento ele estava na Bélgica a alguns anos, disse que sim, afinal o meu amor não ia estar no computador e assim nem pensava nisso. Nesse dia acordei já de tarde com a minha mãe a chamar-me constantemente, meti-me no banho e estava sem vontade de me preparar, mas a minha mãe insistia que tinha de vestir algo bonito, arranjar o cabelo e maquilhar-me e enfim já que ela pedia tanto resolvi fazê-lo. Ao chegar ao aeroporto estava já um pouco escuro, as horas passavam e ele não chegava, a minha mãe só dizia que o voo era longo, que era demasiado longo. Até que as pessoas começam a chegar levantei da cadeira e fui para junto do lugar onde as pessoas estavam a sair. E de um momento para o outro vejo ao longe um rapaz alto, moreno e com o cabelo preto, era ele. Era o meu amor, o rapaz da internet, naquele momento corri para abraça-lo, não conseguia falar, não conseguia pensar como estava aquilo a acontecer, apenas conseguia chorar, chorar de felicidade. Até que ele sussurra no meu ouvido –o plano continua a ser o mesmo- respondi que sim e ele disse – estou aqui, para sempre, amo-te princesa-.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

preciso que me roubes do mundo, nem que seja apenas por um dia uma tarde, uma hora, um minuto, um segundo até, mas preciso que me leves dessa tristeza, desse acumular de problemas, de coisas sem sentido que magoam, sei lá só preciso que me leves para os teus braços e me faças sentir protegida no calor do teu abraço e na suavidade da tua voz. vem me roubar do mundo, só hoje.
Não te iludas, palavras bonitas não alimentam um amor eternamente.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

um mês.



Hoje quando levantei da cama e reparei que era mais uma manhã fria, peguei o casaco e fui tomar um leite quente. Procurei minha mãe e me perdi quando o sol começou a invadir a casa pela fenda da janela, dei um sorriso meio falso e tive esperança que hoje eu ia sair e me divertir como a muito eu já não fazia. Eu fui me olhar no espelho, a minha cara continuava triste, os meus olhos estavam borrados da maquilhagem depois de mais uma noite a chorar, meu pijama tresandava, meu cabelo estava desarranjado, uma ponta caída outras quantas no ar e umas pontas atadas, lavei a cara com água fria e meti-me no banho. Passado um bom tempo sai e procurei a minha melhor roupa, meus melhores sapatos, a minha maquilhagem mais vistosa. Depois de tudo feito me olhei no espelho e parecia feliz, um pouco bonita diria eu. Ouvi minha mãe gritar o meu nome e fui ver o que queria, ela me perguntou que dia era hoje, eu respondi que hoje era dia 28. Ela continuou a falar mas sou sincera nem ouvi, porque no momento que eu falei o dia, meu coração disparou, minha cabeça começou a rodar e meus olhos voltaram a chorar, hoje era o dia em que havias partido, a um mês atrás. Não lhe dei tempo de perguntar o que se tinha passado, corri pela casa e entrei no quarto e me atirei na cama. Talvez meus choros se tenham ouvido do outro lado do oceano, do outro lado do mundo, mas eu não queria saber, eu não conseguia conter-me. Eu lembrei de novo das suas palavras, da força brusca como eu te perdi, dos motivos que te levaram a fazer isso. Levantei da cama e arranquei minhas roupas, limpei minha maquilhagem, fui na frente do espelho e reparei o quanto ridícula e fraca eu era e chorei mais ainda. Daí eu toquei minha cara, meu corpo, e eu quebrei o espelho na hora, minha mão ficou sangrando, minha dor era grande mas não tão grande quanto a dor do meu coração, quanto a dor da saudade, a dor da distância. Eu liguei o computador, e fiquei vendo suas fotos, o texto que você me escreveu, li o histórico das nossas conversas e aí eu me deixei levar por uma tristeza sem volta. Depois eu lembrei de entrar no msn e você não estava lá, agora quase nunca estava, sua rotina já não era igual, tal como os seus planos. Comecei a supor o que você estaria a fazer, sua nova namorada estava em todas as suposições e isso me doía mais ainda, minha vontade foi de me atirar da janela naquele momento, mas me contive e deitei de novo. Queria que o sono chega-se, que o por do sol chega-se, que as forças chegassem, que você chegasse, mas nada chegou. Então limpei minhas lágrimas, sentei na cadeira, peguei uma folha, uma caneta, e escrevi.  

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

o amor tudo mudou.


Os ventos que correm desta vez são frios. Já não são como nas tardes de verão em que o ar era quente e o sol brilhava forte. Hoje os meus lábios estão mortos, pois agora os teus não colam mais neles a todo o momento. O meu coração está partido e ao mesmo tempo vazio, pois as tuas palavras já não o fazem palpitar. Os rios já não correm, secaram assim como as lágrimas que já não sou capaz de soltar. As folhas com o outono estão fracas e acabam por cair. Tal como eu. A torneira da minha cozinha continua a pingar, isso é a única coisa que continua igual. Maldito amor que desde que se foi, nada tem mais cor, nada é igual.

Actualmente temos um lugar pequeno na nossa sociedade. Com o aparecimento das tecnologias e da evolução dos pensamentos, o ser humano tem vindo a ser substituído. E a cada dia que passa, á mais uma boca que se cala, mais uma revolta que se guarda, pergunto-me por quanto tempo. Por quanto tempo aguentaram a sua revolta, as suas opiniões e conselhos para está sociedade pobre e quase perdida. Por isso cada vez mais me parece importante que as pessoas se expressem, que se revelem e sejam livres, se não são capazes de sair a rua e gritar, pelo menos que sejam corajosos o suficiente para passar as suas ideias para o papel, que sejam capazes de dizê-las em voz baixa, deixar sair, deixar as palavras ao sabor do vento, deixar…deixar que o pensamento critico se solte. Questionem os erros, as felicidades, questionem a sociedade, questionem-se sobre uma solução, questionem-se sobre a vossa própria existência e sobre tudo questionem. O que seria de nós se pensasse-mos todos iguais, qual seria o resultado de um mundo onde ninguém se expressa? Séria um mundo desinteressante e acima disso um acumular de palavras. Vou ser bastante direta, actualmente ninguém se expressa, todos falam na escuridão da noite ou na madrugada. Mais ninguém é capaz de falar, por medo, por ignorância, por falsidade não sei mais. Todos se queixam do rumo que o país, o mundo está a levar, mas esquecem-se que talvez a resolução esteja na palavra. Com a evolução o que não falta são opções para usarmos o pensamento crítico mas com tranquilidade e inteligência e quem sabe possamos marcar o mundo com o dom da palavra. Por isso fala e mostra que o mundo mudou, mas o teu pensamento contínua firme. 

domingo, 30 de setembro de 2012

falso amor.


Eu sabia que chegaria o dia de eu chorar de novo, só não pensei que fosse tão cedo e pelo motivo que foi. A verdade é que ainda me custa acreditar que alguém que me dava tanta paz, tanta felicidade, tenha sido capaz de me magoar de um jeito que eu julguei impossível. Neste momento tenho os olhos em lágrimas, o coração apertado e a cabeça confusa. Mas tu neste momento deves estar a fazer-lhe as mesmas juras que a mim, a fazer planos com ela, a cantar-lhe uma música romântica, quem sabe neste preciso momento podes estar a dizer-lhe o canto a amas. E eu ainda me estou a culpar pelo fim, pelo que os meus olhos leram, pelo que foste capaz de fazer, ainda não acredito. E ainda dizem que o certo um dia chega, sinceramente perdi a esperança, foste a minha última tentativa, a minha última tentativa de amar e tentar sair feliz, pois isso nunca acontece, nunca saiu feliz. Um dia eu espero entender que o problema não está em mim, talvez aí eu pare de me julgar e de me magoar, mas até lá tudo fica igual você feliz e eu sangrando. Estou sem forças para brigas, para tentativas de te prender, nem sei se é sem força ou vontade, pois estou realmente farta de tanta dor atacando o meu coração. A verdade é que eu perdi a conta as vezes que eu te pedi que não me magoasses, que eu estava farta de sofrer por garotos, que ia esperar por ti e eu recebo o que em troca? Recebi tudo aquilo que te pedi para não fazer. Eu sempre soube que esse amor ia ser difícil, afinal era um amor quase impossível, mas depois de todas as juras, os planos, eu acreditei, acreditei em ti, acreditei em nós, acreditei e magoei-me, de novo. Não vou dizer-te que não doeu, porque doeu, doeu como a muito já não doía, doeu como nunca doeu. Mas apesar de tudo em algo não erraste, não erraste ao fazer-me feliz, pois eu em tão pouco tempo sorri mais do que pensei, fui feliz com o teu suposto amor em relação a mim. Agora que penso, terás tu algum dia gostado de mim ou apenas me usaste enquanto algo melhor não chegou? Mais uma pergunta paira na minha cabeça e que confusa ela está. Desde que li o que li, a minha boca não foi capaz de citar uma única palavra, limitei-me a chorar, a chorar o quanto pudesse, naquele momento parei de ser forte e desabei. Tenho tantas perguntas para te fazer, mas sou incapaz de abrir a janela do teu msn sem chorar e volto a desabar. Agora estou a perguntar-me porque motivo me fizeste isto, porque motivo me levaste tão alto e me largaste lá de cima sem avisar, continuo sem resposta, pois não entendo, não entendo. Neste momento ando perdida nós nossos planos, nos sonhos que construi, e que agora estão desfeitos, assim como o meu coração. E viva aos falsos amores que são capazes de desfazer um coração. Espero que não estejas orgulhoso, eu não estaria. Mas enfim a verdade é que desfeito o meu coração está, mas ainda está te amando.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

igual.


Não sei o que escrever, não sei só sinto um aperto no peito, uma imensidão de lágrimas a percorrer a minha face, uma vontade enorme de ver o sangue que me percorre pelas veias. Eu sou louca por amar, mais louca ainda por entregar o meu coração a quem me faz promessas de amor. Enfim pobre de mim que se deixa levar por palavras. Eu já me julguei, já me magoei por não me achar boa o suficiente, continuo a fazê-lo cada vez que me surge essa imagem na cabeça, cada vez que enfrento o meu reflexo. Posso convencer todos de que ultrapassei que estou feliz, mas na verdade continua tudo igual. 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

eu te amo ♥


Eu perdi-me na tua forma carinhosa de ser desde o primeiro momento. Olho em torno e apercebo-me que te tenho a um mês, diria seguramente o melhor mês se todo o meu ano. Todos os dias acordava contigo no pensamento, tu fazias parte de cada segundo do meu dia e eras o meu desejo antes de deitar, sem me aperceber, erás tu quem eu mais queria, quem eu procurei por tanto tempo. Não diria que é de todo fácil ter-te tão longe, tem algo tão grande nós separando e algo tão forte nos juntado, nós querendo junto, nosso amor. Hoje o dia foi difícil, chorei até não poder, porque doeu imaginar o que eu poderia fazer nesse dia especial e nada poder fazer, restam-me apenas as palavras que de nada valem, que nada explicam. Eu já disse isto milhões de vezes, mas hoje é o dia de as dizer o maior número de vezes possíveis, eu amo-te, mais do que algum dia imaginei amar, mais do que podia diria, mas gosto desta sessação de sufoco que o amor que tenho me faz sentir, porque sei que te amo com tudo. É tão difícil pensar nesses teus olhos, nessa tua boca, nesse teu riso contagiante, nessa tua voz querida e encantadora, nesse teu jeito carinhoso, é difícil pensar nisso sem sentir desejo, desejo de correr atrás e largar tudo. Largar tudo por ti, pois tu és a minha vida e enfim pica para quem não acredita. Não podia pedir-te mais do que me dás, porque afinal dás-me tudo o que eu sempre quis ter, felicidade, felicidade sem trocas, sem ilusões, sem mentiras. Teria tanto a dizer-te hoje se estivesses na frente dos meus olhos, teria um abraço tão forte para te dar e um beijo delicado para te oferecer, mas restam-me apenas as palavras, as palavras que nada dizem, quando se ama tanto alguém. Arriscaria dizer que hoje foste o meu único pensamento e o único motivo para o meu sorriso bobo, porque cada momento recordado era uma felicidade revivida. Eu tenho tanto a agradecer-te, agradecer-te acima de tudo por me teres roubado do mundo só para ti e que agora, agora me faças a pessoa mais feliz. As palavras começam a falhar-me porque na verdade, não sei mais o que dizer, não encontro outra maneira de dizer, que és tu quem eu quero no meu futuro e se possível eternamente. Poucas pessoas me fazem feliz e tu meu amor, tu és uma delas. Pode doer, mas eu vou amar-te enquanto poder. Eu amo-te namorado lindo, ♥

sábado, 8 de setembro de 2012

enfim...


Em momentos já me deste alegrias e orgulhos agora dás-me pena da pobre que és, da falta de argumentos que tens. Já reparei que ambas temos significados diferente, de amizade, de ajuda, de carinho. Não diria que a minha definição e totalmente perfeita, mas a tua está bem longe disso, bem longe mesmo. Já te disse que a amizade não se trata de te falar, que a ajuda não se resume a bens e nem um amo-te é suficiente para encher o coração de carinho, mas enfim. As vezes chego a ter pena de mim por ter mudado por quem nem merecia o meu carinho, mas afinal nem isso chegou, nunca chegava. Não vou mentir, tu sempre me deste sorriso espontâneos e incontroláveis, momentos felizes e alguns inesquecível, mas. Mas devo lembrar-me também das brigas regulares, das ajudas que me negaste e da mão que nunca chegou, enfim. Fui louca em acreditar em algo que nunca daria em nada.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

s o n h o s .


Hoje quero encontrar-te de novo nos meus sonhos. Para poder sonhar com o dia em que eu vou poder ver-te, ver o brilho dos teus olhos, sentir o sabor doce dos teus lábios, tocar nos teus cabelos negros e perfumados, ver e ser o motivo do seu sorriso brilhante, sonho com o dia em que vou poder abraçar-te sem problema, sem limite de tempo, simplesmente ficar ali, junto de ti. Eu sonho, sonho de como séria bom tornar isso real.

princesa ∞


As vezes parece-me estranho gostar tanto assim de ti, se nem te conheço por inteiro, nem pela metade, simplesmente de ti pouco sei. Mas afinal também me pareceu estranho encontrar alguém que me dá tanta segurança e encontrei. As vezes tenho a cabeça cheia e os braços vazios, é nesses momentos que me dói mais não te ter, não poder abraçar-te forte e ouvir um ‘estou aqui’, mas a saudades passa, afinal tudo passa. És daquelas pessoas que cativa, que dá vontade de guardar e de proteger do mundo, sei lá és especial. Parece-me estranho que não saibas o quanto maravilhosa és, porque em ti vejo a luz, vejo a confiança e segurança, vejo a paz total e o carinho e felicidade que preciso. Se te quero para sempre? o sempre não faria sentido sem ti. Desculpa a confusão de palavras, desculpa a minha dificuldade em usa-las, só queria mostrar-te que para mim tu és especial e ninguém vai mudar isso. Adoro-te princesa, <3

meu amor *


Pediste que sonhasse contigo e mal imaginavas que esse é o meu desejo todas as noites antes de dormir. Começou a ser amor sem eu me dar conta, fui começando a pensar em ti o dia todo, a sentir saudades passados cinco minutos de sairés, comecei a imaginar planos para nós, para o nosso futuro juntos. Quando me apercebi já não dava para fugir, eu amava-te de verdade, como eu temia. Desta vez o meu medo não era de sofrer, o meu medo era que essa distância destrói-se o nosso amor, a nossa felicidade. Na verdade a distância não foi forte para destruir, apenas para ferir com a saudade, com a vontade de ficar junto, com os ciúmes, mas enfim são coisas do amor. Não podia ter o sorriso mais verdadeiro, nem a pessoa mais perfeita do meu lado, estou feliz, ao fim de tanto tempo estou feliz de verdade. Por mais barreiras que posso existir, nada me vai impedir de te amar, de te amar e te fazer feliz. Amo-te desde aqui até a lua e da lua até aqui.  

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

pinheirinho zx


A verdade é que a vida nos faz perder muito, nós faz sofrer e dá-nos provas de que nada é eterno. Sim a vida também já me fez perder muita coisa, já me magoou e já me deixou no chão. Mas eu estou-lhe agradecida por me ter compensado, por me ter apagado a dor por instantes, por me ter dado algo que fugiu a regra, estou agradecida por ela te ter posto no meu caminho, a ti e a essa alegria contagiante, a esse teu jeito simpático e querido. Não vou dizer que te conheço totalmente ou que te tenho na mão, mas  vou dizer que conheço um bom pedaço de ti, com imensas qualidades quem sabe até com uma pitada de defeitos, mas és tu e isso já chega. Gosto do teu ar alegre, do teu pedaço de mistério e sedução, do teu lado simpático e doce. Que digam que erraste, não me importa sinceramente a mim nunca me causaste dor, aliás só me tens dado pequenos momentos de felicidade e causado sorrisos verdadeiros. Tenho-te a um ano e sinceramente espero que fujas a regra e te tenha para o resto da vida, porque afinal tu és dos que vale apena. Pois pinheirinho, sejas tu o que fores a mim pessoa adoro-te. 

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

dor no amor.


O meu coração parou de doer, sinceramente parecia que finalmente tinha chegado a altura de viver sem dor, sem lágrimas. Mas aí o meu coração voltou a iludir-se por palavras bonitas, por promessas tentadoras, por um amor-perfeito.  A verdade é que voltei a amar, desta vez guardei os medos e entreguei-me por completo, tudo estava a dar certo, tudo parecia ter futuro, até que alguém apareceu. Mesmo que essa pessoa não mude nada, faz surgir várias perguntas na nossa cabeça como “será ela melhor que eu?” “será que eu sou boa o suficiente?” “será que ela vai tirar ele de mim” tantos será, tantos porquês. O amor sempre irá ser a dois, mas sempre vai existir uma terceira que não sabe o seu lugar, enfim. O amor dói, principalmente quando nós entregamos com tudo, quando baixamos a guarda e guardamos os medos, dói a valer, mas um dia essa dor se apaga com o amor verdadeiro. O amor não é um conto de fadas, mas quando se encontra o verdadeiro, fica lá perto.

sábado, 25 de agosto de 2012


A questão do amor nunca teve uma resposta definitiva. Mas sinceramente cada vez torna-se mais confuso tentar descreve-lo. Parece-me que o amar passa mais por toques no escuro do que por palavras, por atitudes. O amor é uma imensidão de sentimentos que nós faz chorar só de pensar, só de tentar entender. Por mais palavras escritas, nenhuma será capaz de defini-lo na perfeição, por mais amores conhecidos, nunca vamos entender o porque do fracasso ou do sucesso. A verdade é que pensamos que todos os amores têm de ser iguais as histórias, eu própria pensava assim, mas afinal apercebi-me que cada um tem o amor que plantou e essas histórias não passam de fantasias dos escritores. Na verdade eu já tive fantasias com amores eternos, mas acabei por entender que não passavam disso mesmo, de fantasias. Desde que me apercebi disso, procurei pelo amor, mas dessa vês procurei por palavras, por gestos, por personalidades e não pelas fantasias e acabei por descobrir a verdadeira essência do amor. Porque as fantasias levam-nos a procurar a perfeição é esse o motivo de nunca encontrar o verdadeiro amor. Simples. Por isso neste momento guio-me por sentimentos e não por fantasias. 

domingo, 19 de agosto de 2012

corredor escuro.

Os meus passos eram curtos, a respiração rápida e os batimentos acelerados. Mais uma vez eu estava sozinha naquele corredor, que ainda que com tanta luz me parecia tão escuro. Eu sentia o pânico a instalar-se pelo meu corpo lentamente, quanto mais pensava mais medo eu tinha, mais gargalhadas eu ouvia, mas olhares sobre mim eu imaginava. Algumas vezes eu fico a pensar que isto é um pouco de loucura, pois sempre que estiver sozinha esses pensamentos esses sintomas sempre vão vir na minha cabeça. Eu posso dar um passo, que sempre vou sentir culpa na minha cabeça. Espero que um dia alguém tenha a capacidade de me amarar o braço e me tirar desse corredor escuro.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Ueliton, ♥

A verdade é que a distância dói. Dói para quem a vive, dói para quem a vê, dói até para quem não a sente. É difícil alguém que nós faz tão bem estar tão longe de nós, quanto mais a pessoa é importante mais longe ela está, e a verdade é que as vezes fica mais difícil que o normal. Quando a saudade aperta da vontade de correr para junto da pessoa, da vontade de largar o mundo por um sorriso seu, da vontade de tocar nos lábios dele e sorrir, de abraça-lo e sentir o seu perfume, de ouvir o seu coração a bater, da vontade de ir proteger ele do mundo. Mas a vida é injusta, essa distância toda é injusta. Como eu já prometi, eu não vou esquece-lo, não vou apaga-lo da minha mente, do meu coração, da minha vida, eu vou esperar. Esperar o abraço apertado, a ida ao cinema, o sorvete, eu vou esperar por ele acima disso. Não te esqueças de mim anjo, pois eu nunca vou esquecer-te.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

desabafo...


Começo a fartar-me cada vez mais destes meus fracassos no amor, mas pior que isso começo a fartar-me desta minha loucura de acreditar que vou ter um príncipe. Tenho os meus sentimentos ao monte, não sei ao certo o que são, onde pertencem, por isso prefiro amontoa-los e ignora-los, simplesmente deixar de os sentir. Ultimamente tenho-me sentido sozinha, o meu coração tem estado lento e o meu corpo gelado, tenho a mente cheia e o coração vazio. Dei o nome de amigo a tantas pessoas e acabei por me perceber que não o eram, eram apenas conhecidos. Não sinto só a falta de amizades, sinto a falta do amor, falta de ser amada, mas desta vez amada de verdade. Já me disseram que o amor chega quando menos se espera, por isso parei de procurar, mas é inevitável eu não pensar nisso. Pois cada noite quando me deito penso se algum dia serei feliz de verdade se existe alguém que pensa em mim e sorri, penso no amor e de como séria tê-lo na minha vida. Mas a verdade é que sei que provavelmente nada do que sonho se tornará real, mas como uma amiga minha disse, nem todas as rosas têm espinhos. Não me considero fraca ou derrotada, só estou cansada de lutar, de lutar sozinha. É bom chorar dizem todos, mas já nem isso me limpa a alma, só um abraço, um abraço apertado daqueles que conforta e protege. O que está a faltar mesmo é felicidade e vontade de viver.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

louco amor.


Tenho tentado evitar um assunto que na verdade me parece inevitável. Neste momento não me parece justo que ninguém aponte o dedo ao que sinto, afinal todos amamos, todos erramos. Tenho procurado por ti, pelo que era nosso, e quanto mais procuro mais perdida fico. Sinceramente nunca ninguém te vai amar como eu amei e sinceramente nunca amarei ninguém como te amo a ti. Será por seres o único que sempre me encheu a vida de alegria, por seres quem me ensinou a amar, ou será por a minha vida já não fazer sentido sem ti, o amor não ser o mesmo sem ti, as duas opções digo eu. Todas as noites tenho pensado em ti, na verdade penso a toda a hora, mas a noite é mais forte é uma dor que me tira o sono me faz chorar de uma maneira que eu nem sei explicar. Enquanto procurava um lenço na gaveta, encontrei uma foto tua junto a uma folha dobrada. Abri lentamente, e quando reparei era a tal carta que tinhas escrito para mim, comecei a lê-la e parava constantemente para sentir cada palavra. Palavras doces dizias tu a todo o momento, fazias os meus olhos e o meu sorriso brilhar, pergunto-me como acabou, como foi possível. Fui feliz enquanto durou e agora que penso fui louca por não ter continuado a lutar. Mas agora que penso em fazê-lo parece-me tão tarde, tarde para lutar por um amor quase impossível, tarde para voltar amar. Por isso todos os dias me culpo, todos os dias espero que voltes e me digas que não, não é tarde. Continuo a amar-te como no primeiro dia, como na primeira vez que me disseste um amo-te namorada, simplesmente continuo a amar-te. Imaginei-me mais forte, mas afinal nunca pensei perder-te e perdi, por isso passado tanto tempo ainda dói, dói saber que já não me pertences. Séria injusto prender-te em mim, mas séria injusto para mim e para a minha vida deixar-te ir, deixar que alguém realize os sonhos que eram nossos. Simplesmente dói, e eu não estou a conseguir lidar com isto, com a tua saída repentina da minha vida. Ao longo dos meses tenho tentado tirar-te do sítio onde jurei nunca te tirar, do meu coração, não por não te querer lá simplesmente porque me magoa, magoa demais, mas foram tentativas falhadas. As vezes eu pergunto-me onde errei, o que tenho de mal, encontro tantos erros, tantos defeitos, mas que me parece mínimos, porque quando existe amor ele dura, ele supera qualquer coisa. Triste de mim que não sei deixar de te amar, de ler o que me dizias, de te imaginar na minha vida de novo, triste de mim por amar-te deita maneira. Acho que depois de dizer tudo isto, depois de todas as lágrimas que mais uma vez larguei por ti, eu percebi que na verdade eu preciso mais de ti do que imaginava. 

domingo, 22 de julho de 2012

tarde demais.

disseste que tentarias no dia seguinte, mas nunca chegaste a fazê-lo e quando te apercebes  ele já não é um adolescente iludido, está na universidade a conhecer pessoas novas, novos mundo e por mais que queiras dizer-lhe a falta que ele te faz, o teu pensamento de adolescente anteriormente magoada não te deixa. Então ai já se passaram tempos e descobres que os vossos sonhos estão a ser realizados sem ti. E sentes-te estúpida por não ter tentado lutar, pelo menos para ele saber o que sentias.

domingo, 15 de julho de 2012

dúvidas.

hoje fizeram-me um pergunta que realmente mexeu comigo, a pergunta foi essa "Quem é a pessoa mais importante da tua vida linda ? :) *-*", pergunta inteligente se o objectivo era deixar-me a questionar-me. Bem eu ao final de alguns minutos escrevi um nome, um nome que ainda causa um certo impacto na minha vida, o nome da pessoa que o meu coração diz amar, e que a minha cabeça cansa de dizer que não pode ser ele. E eu não sei o que dói mais se o facto de já quase não te ter ou de nunca te ter tido da forma que queria. Ainda me custa falar de ti sem chorar, ainda me custa ouvir o teu nome e depois pensar em outra coisa, ainda me custa saber que não és meu. E sabes eu não tenho mais a certeza do que sinto, pois o tempo não curou as feridas e o teu afastamento sou as aumentou, por isso estou magoada, triste e sem certezas. eu tenho medo, medo de te perder de vez. Porque na verdade ainda te quero.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

a minha vida, sem capas


Tudo na vida tem os seus pontos positivos e negativos e penso que nascer é um ponto positivo pois a vida ensina-nos lições, faz-nos conhecer pessoas maravilhosas e outras nem tanto, e penso que esse é o ponto positivo da vida até que me apercebi dela. O primeiro ponto negativo da minha vida foi sem dúvida a separação dos meus pais que embora tenha sido nos meus 4 anos, mexeu comigo e me deitou abaixo, principalmente quando era o dia no pai e em outras ocasiões especais. Ainda continua a mexer principalmente porque ele não quer fazer parte da minha vida, mas agora considero-o menor pois quem perde é ele. Não me recordo muito dos meus primeiros dez anos de vida. Sei apenas que aprendi que a vida não é fácil, que as palavras podem magoar mais que gestos, e que as pessoas mesmo sem saber julgam, julgam pelo teu exterior. Penso que a forma como as pessoas me vêm, a forma como elas estão sempre prontas a apontar o dedo mudou o meu comportamento, tornei-me agressiva o que tem vindo a aclamar mas que continua presente, comecei a isolar-me, a não deixar as pessoas ficarem demasiado “perto”, parei um pouco de viver se é que se pode dizer, penso que esses foram os principais pontos negativos devia ao eu não gostar de mim. Os pontos positivos, eu penso que me tornei uma boa pessoa em ocasiões, e que estou sempre pronta a ajudar, ouvir, falar, penso eu. A certa altura da minha vida eu entendi que a sociedade consegue mudar-nos sem nós apercebermos porque ela nos magoa e nós julgam, então sem me aperceber tinha largado a realidade para me ligar as amizades virtuais, se podemos chamar assim, fui começando a conhecer novas pessoas, a maioria que se encontrava a quilómetros de distancia de mim, mas que me faziam felizes e era isso que eu naquele momento queria, felicidade, carinho, alguém sempre pronto a ouvir e ajudar, assim foi em 2010 tinha eu 13/14 anos e conheci as pessoas que mudaram a minha vida, a maneira como eu a via. Ao longo dos anos não fui só eu a errar, alguém próximo de mim errou, a minha mãe, quando teve uma relação com um toxicodependente, e eu penso que isso me mudou bastante, pelo simples facto de já ter idade suficiente para perceber o seu passado e os problemas que isso traria. Apesar de o mundo ter apontado o dedo a minha mãe sempre tive a cabeça ciente de que nunca a abandonaria, enquanto a maioria o fez eu continuei com ela. Bem quando as coisas na relação deles começaram a mudar, a minha vida também não estava numa fase boa, tinha acabado de perder dois dos meus grandes pilares, mexeu de tal forma comigo que eu não sabia mais o que fazer, até que comecei a cortar-me. Agora sei que foi a atitude mais incorreta, mas naquela altura, aquilo parecia tão certo, parecia consolar, aliviar a dor, apagar as lágrimas, não sei bem explicar, mas neste momento eu já não o faço felizmente entendi que era errado. Bem esta ultima relação da minha mãe mudou muito aquilo que eu era, sempre fui de não ter medo, de não mostrar os meus sentimentos, sempre fui de proteger e não de ser protegida, mas neste momento mostro-me fraca e medrosa, talvez aquilo me tenha feito entender que as pessoas não são todas boas, e que uma pode mudar-nos o pensamento de anos. Pode parecer paranoico, mas todos os dias sinto o medo antes de me deitar, todos os dias confirmo porta a porta, janela a janela, para verificar se tudo está fechado, se ele não vai entrar e magoar alguém, ou fazer de mim bocados. Bem como este ano mudei de escola fui obrigada a integrar-me e sinceramente com as raparigas foi bastante fácil, mas com os rapazes foi difícil e demorou bastante tempo, não por falta de simpatia de ambas as partes, foi simplesmente o medo de ser julgada, levada para trás, o medo de não gostarem de mim assim. Este foi sem dúvida o ano mais difícil da minha vida, cansativo e cheio de medos e sem dizer claro que tive duas pessoas que me tiravam um pedaço de vida em cada dia, ora porque me julgavam, ora porque se chateavam por coisas sem cabimento nenhum, mas nem falar delas quero, porque me consome a alma saber que dizem amar-me mas têm sempre o dedo ponto a apontar os defeitos, como todos os outros. Não vou dizer que a minha vida é super má e difícil, mas estaria a mentir se disse-se que ela é boa, pois penso que todos os dias me surge na cabeça que eu sou má demais para ter alguém que me ame, ou que sou fraca para proteger quem amo, vem sempre o pensamento na minha cabeça que eu nunca vou pertencer a nenhum lugar. Penso que é isto mesmo que se passou de mais marcante na minha vida e que a maioria não sabe, mas mesmo assim me julga sem saber. 

terça-feira, 10 de julho de 2012

falso sentimento.


Sinceramente começo a ficar farta de falsos sorrisos, de falsas esperanças, farta da minha vida. Eu sempre tentei ser forte, viver com ou sem felicidades, mas ouvir constantemente que não valemos nada ou que me dariam por nada, machuca. Nunca ninguém vai entender o porque do meu mau humor, o porque das minhas mudanças, das minhas lágrimas apertadas, do meu tom de voz, nunca ninguém vai tentar entender sequer, por isso não me julgues, não me culpes, porque a vitima aqui sou eu. Este é um outro motivo porque te quero aqui, porque me fazes falta nas horas de solidão, nos momentos de lágrimas, nas ocasiões de falta de amor, eu preciso de ti, de alguém que preencha o meu vazio e me de motivos para sorrir. As vezes parece-me incorreto chorar por isto, chorar por um estalo que nem comigo mexeu, chorar por te magoar se eu para ti nunca existi.  Fiquei sinceramente farta de tentar e o resultado ser sempre o mesmo, e vou seguir o que me dizes-te “não me dirijas mais a palavra, para mim nem existes” e não tenho mais a dizer.

espera...triste espera.


Foram inúmeras as vezes que eu esperei alguém capaz de me fazer feliz e esse alguém nunca chegou. A verdade é que eu nunca tive incómodo de correr atrás de qualquer pessoa, de ajudar, perdoar, amar, nunca fui assim de me intimidar, mas as vezes que fiz bem, sempre vinha alguém para me fazer mal, sem pena. Perdi a conta das vezes em que as pessoas fizeram de mim o que queriam, me fizeram perder a cabeça por elas, cometer o que fosse necessário só para os ver feliz, e depois, eu saia sempre magoada por motivo que eu nunca cheguei a saber, ai está vão embora sem o motivo dizer. E magoa digo-vos que é das piores sensações do mundo, mas eu sempre me aguentei e vou aguentar, pelo menos até onde der.

Na verdade a minha boca tornou-se incapaz de soletrar a maioria dos meus sentimentos e das suas tristezas. Por isso agora sei quem está realmente comigo, quem percebe a minha frieza, quem percebe as minhas atitudes, quem percebe o brilho do meu olhar. Sei que a maioria não passaria no teste, a maioria não saberia o que os meus olhos ditam, a historia que eles contam ou o sofrimento que as lágrimas largam, mas todos saberiam dizer, que eu apesar de batalhas consegui viver alcançando pequenas vitorias. 

segunda-feira, 9 de julho de 2012

baile .


Bastou o toque suave de um beijo na testa, ou os beijos de despedida para aquele ser a noite mais linda do ano. Talvez nesse dia a minha cabeça estivesse a ser capaz de me disser para me divertir e que pouco importava quem ia estar com os olhos postos em mim com a boca prestes a falar, pois aquela noite era minha e de mais ninguém. Eu fui capaz de sorrir sem motivo e de me sentir bem com aquilo que sou, talvez seja esse o motivo de aquela noite ter sido especial como outras não foram. Eu não tive um príncipe ou uma surpresa inesperada, mas aquilo que tive, bem aquilo que tive foi mágico. Não vou dizer que provavelmente a minha noite poderia ter mais um toque de conto de fadas, mas mesmo não tendo eu fiquei rendida e agradecida por tudo o que aconteceu.

feridas.


Estive bastante tempo a ouvir musica e a chorar sem parar um segundo, eu pude pensar em tudo o que está a acontecer na minha vida, nas escolhas erradas que eu estou a tomar e na pessoa errada que eu sou. Percebi que fugir não está a resultar e cada vez mais está coisa que eu sou me afasta das pessoa, está a magoar-me e eu agora estou a ver, por mais que me custe eu estou a ver. Fiquei durante horas a pensar se vai existir alguém capaz de curar todas as minhas feridas, se vai existir alguém capaz de secar as minhas lágrimas, de me abraçar forte e me proteger, de me fazer feliz ao ponto de não saber controlar o sorriso, será que algum dia vou ser o motivo do sorriso de alguém. Não me lembro a quanto tempo não tenho um ombro amigo para chorar, a quanto tempo eu não recebo um abraço de consolo, eu não me lembro qual foi a ultima vez que eu sorri com vontade. 

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Todos temos o momento certo para o amor, apesar de o meu não ter chegado estou confiante de que chegará.

domingo, 1 de julho de 2012

amor do passado, talvez.


A nossa data passou e eu nem fé dei, não por esquecimento ou por falta de amor, simplesmente tive medo de voltar as amarguras do tempo e as felicidades que ultimamente já não são tão vividas. Tive medo de voltar a sentir a tua falta, de voltar a precisar de ti para viver, tive simplesmente medo de voltar a sofrer. É verdade que todas as noites me lembro de ti, que todas as noites leio as mensagens que mais me marcaram as que me fazem sorrir mais, todas as noites eu dou falsas esperanças ao meu coração, maldito vicio. Vamos recuar os dois no tempo, lembraste de quando fizemos promessas que nenhum de nós cumpriu, lembraste de todos os nossos planos juntos para o futuro, lembraste da maneira como me tratavas e estavas sempre presentes, lembraste de como eramos felizes de como me amavas? Eu ainda lembro, mas provavelmente na tua cabeça já nem o meu nome passa, já nem te lembras qual é a minha cor preferida ou o que eu mais gosto de fazer, talvez já nem te lembres da minha voz, da maneira como eu ficava feliz por te ouvir, por de certa forma estar perto de ti, provavelmente o nosso amor para ti está morto, mais que morto. A maioria dos dias eu sinto-me triste, por ter lembranças que consomem tanto de mim, por te ter dado tanto de mim, por ainda pensar que o meu lugar é junto de ti e em mais nenhum lugar.  Quanto mais perto te quero, mais longe te vejo, mais apertado fica o meu coração e mais comuns ficam as minhas lágrimas. Eu tenho a certeza que tu não és o amor mais certo, mas sinceramente é a ti quem eu quero, és tu quem me dá os sorrisos mais brilhantes, o carinho mais forte, és tu quem me dá motivos para acordar todos os dias, és tu quem torna a minha vida feliz. Deixa o vento trazer o amor do passado, e ama-me que eu farei o mesmo. Amor ou não, te amo rapaz.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Helena

não sei se a tua presença na minha vida será eterna porque afinal como dizem nada dura para sempre, mas que enquanto durar que me encha a alma de orgulho, o coração de amor e a vida de felicidade. Não sei muito do teu passado, sei pouco do teu presente, a única coisa que sei ao certo é que te quero no meu futuro, se possível. A verdade é que a tua chegada foi inesperada, chegaste por motivos não tão bons, mas realmente valeu a pena, para agora eu ter na minha vida, uma das melhores pessoas que existe. como já te disse uma vez por mais forte que o vento sopre nunca o deixes levar-me de ti. amo-te Helena.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Hé, ♥


seria impossível dar nomes ao que sinto, formas ou forças, simplesmente te amo, e sei que a minha vida sem ti já não teria o mesmo sentido. porque pouco importa quantas vezes te vejo, porque quando te vejo o mundo ganha cor, e os problemas perdem a gravidade. por isso promete-me que por mais forte que o vento sopre, nunca vai ser forte que chegue para me levar de ti. isto só para dizer que eu te amo, e que a minha vida sem ti já não teria sentido, Hé, ♥
a uma diferença grande entre aquilo que amas e aquilo que gostarias de amar.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

já passaram os tempos em que as lágrimas eram suficientes para ficar melhor, já passou o tempo em que os cortes o sangue me satisfazia, já passou o tempo em que uma palavra mudava o meu humor, já passou o momento em que uma critica me deixa sem força, já acabou o tempo em que a minha vida estava cheia de falsos, já passou o tempo em que más atitudes me tiravam a calma, já passou o tempo que eu ficava rindo com meus amigos, já passou o tempo em que eu me deixei levar, já passou o tempo em que eu arrisquei, já passou tanto tempo, passou o tempo em que eu fui forte e feliz.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Provavelmente vai achar precipitado, não vou dizer que não, mas sabes bem que me tens feito sorrir mais que o habitual, que eu agora posso dizer que por momentos sou feliz. Séria bem melhor se te pudesse abraçar todos os dias ou ficar deitada no teu ombro a chorar, mas contento-me com palavras de consolo, com carinhos. o tempo levou muita coisa de mm, mas trouxe-te a ti para recompor. obrigada príncipe, te gosto muito de ti, viu?♥

quinta-feira, 21 de junho de 2012

é verdade eu até sou infeliz, mas três coisas que me dão orgulho e prazer de viver, tenho um irmão maravilhoso que cada dia me dás mais provas de ser um príncipe, outro irmão que ainda que seja pequeno e inocente me faz dar os sorrisos mais sinceros, e uma mãe de ouro que faz o possível e o impossível para me ver feliz, o meu sorriso pode nem sempre ser verdadeiro, mas os meus esses olhos brilham quando os vejo felizes e a sorrir.

terça-feira, 19 de junho de 2012


A verdade é que a minha vida tem mais obstáculos que felicidades e isso nunca foi motivo suficiente para desistir, mas com o acumular de desgostos, de tristezas, eu começo mesmo a pensar que não vale apena, que ninguém vai gostar de mim o suficiente ao ponto de me fazer feliz. Então eu acabo por me julgar, acabo por fazer coisas que só me magoam, eu acabo por me matar aos poucos sem saber. Eu já chorei tantas vezes por ele, chorei tantas vezes por mim, eu já chorei tanto por tudo que agora já não controlo as lágrimas, já não sei ocultar sentimentos, eu tornei-me uma merda frágil que qualquer pega e magoa fiquei sem força, acabou.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

quero chorar...


A verdade é que eu quero mesmo chorar, não quero ter medo simplesmente quero ficar no meu canto e deixa-las cair em silêncio. A dor está mesmo a invadir o meu ser, eu não aguento mais tanto sofrimento tanta coisa sozinha. É possível que me tenham oferecido ajuda, que a vida me tenha dado a oportunidade de largar quem me causa sofrimento, mas eu sei ser mais estupida do que aparento, mais orgulhosa do que quero, e eu não aceito ajudas nem largo ninguém. Eu na verdade fui capaz de suportar a dor de um mundo sozinha, eu lutei contra a mare sozinha, eu vá sempre estive sozinha e aguentei, mas este amor, está a enlouquecer-me está a deixar-me fraca. Mas eu vou estar aqui, sem foças provavelmente, mas com o amor mais sincero no peito para sempre, amo-te meu príncipe.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

te amo.


O teu sonho caiu, percebe que os sonhos não são motivo forte para viver. A verdade é que soube transparecer o amor, demais pelo que parece. Eu sempre lutei por aquilo que queria e amava, mas as vezes penso que agora é tarde, que o teu coração já não bate por mim, penso sempre que a chama se apagou. Não consigo perceber o que sentes ao certo, o que queres dizer com todos aqueles carinhos, eu não sei se lute tenho dito. Não por falta de amor, não por falta de força, mas por falta de coragem e excesso de medo de sofrer. Eu tentei dar-te o mundo tal como merecias e por várias vezes isso parecia não chegar, pois tu facilmente me davas. Sabes as vezes bate no peito uma saudade de todos os momentos que passei contigo, de todas as grandes coisas que me fizeste sentir, eu tinha a certeza que era a tua princesa, a dona do teu coração. No inicio da tua perda, nada me fazia sentir bem, nada parecia certo, é verdade que eu chorei durante horas, que eu perdi a força, a coragem de lutar, eu perdi a noção do bem. Eu tentei ser o melhor que pude, e a verdade é que não soube, a verdade é que agora me arrependo de tudo o que eu pensei que era certo, e que na verdade me fez perder-te. Não importa o que digam o que falem, eu sei que nada na vida me deixa tão feliz como a tua voz, o teu carinho, nada me deixa mais feliz que tu. E a saudade está a matar-me, amo-te.


Sou como alguém que se encantou, que parou no tempo. A beleza do exterior nem sempre condiz com a realidade, nem sempre as nuvens tapam o sol. Os olhos são transparentes contam a história de um amor perdido.

terça-feira, 12 de junho de 2012

amor virtual.

bem eu a um ano atrás namorava com um rapaz já a quase dois anos, ele era de longe e deves estar a ver que era um amor dito "virtual". sabes o que é aquele rapaz dito o tal? bem ele era esse. eu podia chorar que ele estava lá, podia sorrir que ele estava lá, sabíamos os passos um do outro e acima disso eu amava-o com todo o coração e ele o mesmo. nunca me senti tão valorizada em toda a minha vida, nunca me senti tão amada, tão linda e maravilhosa, mas sabes eu errei, ao final de quase dois anos eu começei a falar com um rapaz que me fez perder o amor da minha vida, eu mudei muito a partir do dia em que o perdi, porque nesse dia ele mudou comigo e com toda a razão, eu mudei com ele, mudei ainda mais sem ele, porque ele era tudo numa só pessoa, ele sabes amava-me, mesmo com a distancia mesmo com os meus defeitos, e eu eu estraguei tudo, por isso luta por ele não faças o mesmo, porque digo-te já com ou sem distância, ele sabe amar, sabe amar e muito.

domingo, 10 de junho de 2012

príncipe do passado.

Não importa se o tempo vai passar, eu sinto uma força um fogo ardente que se está a apoderar de mim. O medo está a deixar-me fraca, mas ao mesmo tempo forte, eu sei apenas que com ou sem força eu não vou deixar de lutar por ti, o teu lugar é comigo, os teus lábios, o teu corpo, o teu carinho é meu apenas meu. O que me deixa mais triste é que tudo isso foi meu, durante muito tempo, e eu deixei que a força do mundo te levasse de mim, não fui forte o suficiente para lutar pelo amor da minha vida. As vezes deito a cabeça no almofada, e penso em tudo o que me dizias, o futuro que programamos juntos, o carinho que me davas, a forma como me mostravas todos os dias como me amavas, era tão lindo e eu estraguei tudo. Eu sei que agora pode ser tarde, mas eu estou aqui com o coração cheio de amor, disposta a amar-te como ninguém sabe fazer, és o príncipe da minha vida, eu amo-te.

sábado, 9 de junho de 2012

mundo sobre mim.

Sabes quando tens a sensação repentina de que a tua força já não chega para segurar o teu mundo, e em segundos os teus olhos se enchem de lágrimas e o teu coração de raiva por ninguém te retribuir a ajuda, por ninguém ser minimamente capaz de te olhar nos olhos e perceber o problema. Nunca vi ninguém largar o mundo por mim, mas eu já me vi a suportar o deles, mesmo que eu estivesse sem forças para estar de pé, mesmo que o meu estive a cair, eu nunca falhei a ninguém, não sou assim. Não estou a amar-me em perfeita, nem amiga exemplar pois cometi erros, mas nunca deixei ninguém chorar a minha frente, nem deixei ninguém carregar o mundo sozinho as costas, apesar de saber que no final ia sair eu pior, mais magoada e sem forças, mas fico feliz, por conseguir mudar o rumo de alguém. Eu serei sempre a mesma, feliz por ajudar, por ouvir, por aconselhar, e sempre triste por nunca me preocupar comigo.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

ela: porque te cortas ?
eu: tão simples, imagina tratam-me mal, eu fico deprimida e corto-me porque me sinto culpada, porque isso faz que a dor passe por instantes, faz com que eu naquele instante me sinta fraca e poderosa, estranho mas é isso.

um amor acabado pela doença.


Querida amiga,
Estou a escrever-te pois a uma semana aconteceu um momento muito gratificante na minha vida, vou contar-te a história toda visto que não te vejo a algum tempo.
Depois de ter mudado de cidade as coisas ficaram um pouco feias, e isolei-me um pouco, quase nem falava com ninguém, até que num dia de tédio resolvi sair, para apanhar ar. Fui até ao parque e encontrei lá um rapaz que me chamou a atenção, cheguei-me a frente e meti conversa. A partir desse dia ficamos muito amigos, até mais que isso ao final de alguns meses. Parecia realmente que tudo se estava a compor, planeamos um futuro juntos, era uma história de amor como aquela dos flimes, ele era a melhor pessoa que eu alguma vez tinha conhecido.
Bem mas como tudo o que é bom dura pouco, ele descobriu que tinha uma doença grave, e que dentro de meses iria perder a vida. Na alturas corremos todos os médicos possíveis mas era mesmo verdade o meu maior pesadelo tinha-se tornado real, eu ia mesmo perde-lo.
Tentei ser forte e ajuda-lo a superar a doença, aproveitamos todos os momentos, viajamos pelo país, conhecemos diferentes culturas, novas línguas, foi tudo fantástico, mas a dor estava lá sempre.
Até que ele faleceu na semana passada, está a custar-me muito principalmente pelos últimos momentos que passamos, pelo facto de ele ser quem dava luz a minha vida. O tempo cada vez custa mais a passar, o vazio cada vez aumenta mais e a dor cresce dentro mim. Só peço mais um daqueles teus abraços que me faziam sentir segura, preciso de ti, das nossas tardes de criança, da nossa adolescência feliz… Tenho saudades daqueles tempos brilhantes, de não sofrer, de amar e de esse amor não me magoar, tenho saudades daqueles dias passados contigo. vem visitar-me o mais depressa que possas



Da tua amiga com saudades, beijos 

domingo, 3 de junho de 2012

e mais uma vez eu sinto-me triste, sozinha e nada amada.

sábado, 2 de junho de 2012

eu sou até meia estranha. eu tenho medo de filmes de terror, de alturas, de brigas entre adultos, de cobras, de deixar de ver, de te perder, de não voltar a acordar, da montanha russa. eu sou chorona as vezes, corto-me, irrito-me, arrepio-me facilmente, invento palavras quando falo inglês, cai-o, brinco, vivo pouco o presente, perco milhares de vezes, amo com tudo, escondo sentimentos e finjo outros, eu luto por quem nem merece. É eu sou assim com milhares de defeitos, de segredos de tristezas, quando vais perceber que o facto de eu ser fria vem de trás, tem uma história, tal como eu.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

sozinha .


Eu sinto-me sozinha como se o teu sorriso já não chegasse para preencher o vazio do meu coração e a dor da minha alma. A chegada dele levou a minha dor ao limite, nunca pensei chorar tanto num tão curto espaço de tempo, eu em segundos notei que sou realmente fraca, que não sei aguentar a lágrima e ser feliz sem motivos para o ser. Eu sou parva por amar, mas mais parva sou por ainda acreditar que um dia eu vou ser feliz, por ainda pensar no futuro com alguém realmente capaz de me amar de verdade. Quem me mandou sonhar tão alto, eu sabia que ia acabar por cair, e desta vez a queda foi enorme, e a desilusão pior ainda.  Eu podia mesmo culpar o mundo pela minha dor, mas a culpada sou eu, por acreditar que apesar de tudo ainda tenho a hipótese de ser feliz.
quando estás triste até tentar sorrir te dá vontade de chorar.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

ele voltou, que medo.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

talvez .


provavelmente o limite do céu vai apagar o meu para sempre, talvez a frieza do meu coração vá apagar a chama do nosso amor, talvez o sangue dos meus cortes te tape os olhos, talvez as minhas lágrimas te molhem, e a minha distancia perante ti te leve a perder a esperança, talvez a dor no peito no corpo na alma me impeça de lutar, talvez a vontade de querer ser feliz me iluda me destrua, talvez de tanto lutar eu vá cair e parar, talvez eu me esconda para não ter de me explicar, talvez eu não demonstre o que realmente sinto, talvez eu culpe quem só me tentou ajudar, talvez eu sofra demasiado sem necessidade. Apenas uma coisa provoca uma quantidade elevada de talvez na minha cabeça, o amor que sinto por ti.

terça-feira, 29 de maio de 2012

serei eu a única que para além de um coração partido não tem nada?

sexta-feira, 25 de maio de 2012


Ultimamente tenho pensado em ti. Sabes eu estou feliz, por ter conseguido superar, por ter sido forte este tempo todo. Lembro-me das vezes em que passava as noites a dar voltas na cama, das lágrimas que eu deixei cair, das vezes em que apertei a almofada com força, lembro até de quando eu me cortava, não foi um percurso fácil na verdade, eu chorei noites a fio, tive vontade de desistir, eu fui julgada por amar, e largada por não estar a dar, eu perdi tanto e na verdade pouco ganhei. Mas ao contrario do que tinhas dito, eu consegui esquecer-te, demorou o seu tempo, foi dificil, mas eu provei ao meu coração que sou eu que manda nele. Eu só esqueci foi de me proteger do amor, de avisar o meu coração que não queria mais  sofrer, e ele apaixonou-se novamente, por outro rapaz que não é para mim, e mais uma vez ele provou-me que é ele quem manda, e que está disposto a fazer-me sofrer.

Eu acho que perdi a esperança no amor, acho que perdi a vontade de viver no dito conto de fadas. Porque sei que no final eu vou sofrer, vou ser largada sem qualquer dó mais uma vez.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

as melhores histórias são as que não tem fim.

O tempo está a custar passar, a chama não voltou a acerder, mas continuo com a esperança que o dia vai chegar, e que por mais confronto que existam, eu vou ter-te de novo. Não importa se eu vou sofrer como sofri, não importa se eu vou ter de esperar, eu sei que és tu quem eu quero. Na verdade eu ando com vontade de desistir, mas á algo que não me deixa ir, um aperto que me pede para ficar, e eu fico sofrendo ou não, eu nunca sai daqui. continuo te esperando.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

força

não importa se vai demorar, não importa se vais chorar muitas ou poucas vezes, ninguém te vai poder apontar o dedo, e quem o fizer provavelmente nunca sentiu a dor de um amor fracassado, nunca sentiu a dor de uma vida perdida. Talvez agora te sintas a pessoa mais fraca e vazia do mundo, mas digo-te isso vai passar, quando o vento se apoderar das lembranças tu vais acabar por esquecer, pelo menos o que te magoa, o que te faz perder a vontade de viver. Acho sinceramente que se não resultou, não estava destinado a ser assim, não era ela a certa, nem quem merecia o teu carinho. O amor não é todo igual, e por este ter corrido mal não baixes a cabeça, não desistas de ti, porque tu sim tens todo o valor, tu sim és por quem vale a pena lutar, luta por ti, luta pela tua felicidade. E não deixes que a história se repita, faz só um novo caminho, uma nova história, um novo objectivo, só não deixes que um fracasso te leve a perder a esperança no amor, porque o amor é lindo, apesar de as vezes ter as suas falhas, e os seus desgostos. agora vá levanta a cabeça, limpa as lágrimas, vê quem tens realmente contigo, e segue em frente, força.